public marks

PUBLIC MARKS from tadeufilippini with tag liturgia

This year

Calendário Da Liturgia Católica 2018

(via)
Calendário Da Liturgia Católica 2018 2017-2018 é o ano litúrgico B. Os dias de festas de santos celebrados em um país não são, necessariamente, comemorado em todos os lugares. Por exemplo, uma diocese ou de um país pode comemorar o dia da festa de um santo de especial importância não (por exemplo, St. Patrick na Irlanda, Nossa Senhora de Guadalupe, no México, St. Elizabeth Ann Seton nos Estados Unidos). Da mesma forma, um instituto religioso em particular pode comemorar o seu fundador ou membros do instituto, mesmo que esse santo não está listado no calendário universal ou está incluído no-lo apenas com uma classificação mais baixa. A informação abaixo está de acordo com o Calendário Romano Geral e contém apenas as celebrações que se destinam a ser observado no rito romano em todos os países do mundo.

Ano Litúrgico B - 2018 - Formato pequeno 9x16,5cm (vermelho) - Paulinas

Ano Litúrgico B - 2018 - Formato pequeno 9x16,5cm (vermelho) Código: 152803 Avaliação dos clientes: 1 2 3 4 5 R$ 0,70 Comprar Sinopse AddThis Sharing Buttons Share to TwitterShare to FacebookShare to Google+Share to E-mailShare to Mais... Ideal para quem precisa ou deseja acompanhar o calendário litúrgico e suas leituras bíblicas diárias. Seu conteúdo foi elaborado sob supervisão eclesial e constitui um ótimo auxiliar para agentes de pastoral, ministros e toda comunidade.

DomTotal

Evangelho (Lucas 1,26-38) Glória a Cristo, palavra eterna do Pai, que é amor! A palavra se fez carne e habitou entre nós. E nós vimos sua glória que recebe de Deus Pai (Jo 1,14). Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas. 1 26 No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, 27 a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria. 28 Entrando, o anjo disse-lhe: “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo”. 29 Perturbou-se ela com estas palavras e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação. 30 O anjo disse-lhe: “Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus. 31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. 32 Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó, 33 e o seu reino não terá fim”. 34 Maria perguntou ao anjo: “Como se fará isso, pois não conheço homem?” 35 Respondeu-lhe o anjo: “O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus. 36 Também Isabel, tua parenta, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril, 37 porque a Deus nenhuma coisa é impossível”. 38 Então disse Maria: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”. E o anjo afastou-se dela. Palavra da Salvação.

Quinta-feira da Terceira Semana da Quaresma

(via)
Segunda leitura Do Tratado sobre a oração, de Tertuliano, presbítero (Cap.28-29: CCL 1,273-274) (Séc. III) O sacrifício espiritual A oração é o sacrifício espiritual que aboliu os antigos sacrifícios. Que me importa a abundância de vossos sacrifícios? – diz o Senhor. Estou farto de holocaustos de carneiros e de gordura de animais cevados; do sangue de touros, de cordeiros e de bodes, não me agrado. Quem vos pediu estas coisas? (Is 1,11). O Evangelho nos ensina o que pede o Senhor: Está chegando a hora, diz ele,em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. Deus é espírito (Jo 4,23.24), e por isso procura tais adoradores. Nós somos verdadeiros adoradores e verdadeiros sacerdotes, quando, orando em espírito, oferecemos o sacrifício espiritual da oração, como oferenda digna e agradável a Deus, aquela que ele mesmo pediu e preparou. Esta oferenda, apresentada de coração sincero, alimentada pela fé, preparada pela verdade, íntegra e inocente, casta e sem mancha, coroada pelo amor, é a que devemos levar ao altar de Deus, acompanhada pelo solene cortejo das boas obras, entre salmos e hinos; ela nos alcançará de Deus tudo o que pedimos. Que poderia Deus negar à oração que procede do espírito e da verdade, se foi ele mesmo que assim exigiu? Todos nós lemos, ouvimos e acreditamos como são grandes os testemunhos da sua eficácia! Nos tempos passados, a oração livrava do fogo, das feras e da fome; e no entanto ainda não havia recebido de Cristo toda a sua eficácia. Quanto maior não será, portanto, a eficácia da oração cristã! Talvez não faça descer sobre as chamas o orvalho do Anjo, não feche a boca dos leões, não leve a refeição aos camponeses famintos, não impeça milagrosamente o sofrimento; mas vem em auxílio dos que suportam a dor com paciência, aumenta a graça aos que sofrem com fortaleza, para que vejam com os olhos da fé a recompensa do Senhor, reservada aos que sofrem pelo nome de Deus. Outrora a oração fazia vir as pragas, derrotava os exércitos inimigos, impedia a chuva necessária. Agora, porém, a oração autêntica afasta a ira de Deus, vela pelo bem dos inimigos e roga pelos perseguidores. Será para admirar que faça cair do céu as águas, se conseguiu que de lá descessem as línguas de fogo? Só a oração vence a Deus. Mas Cristo não quis que ela servisse para fazer mal algum; quis antes que toda a eficácia que lhe deu fosse apenas para servir o bem. Consequentemente, ela não tem outra finalidade senão tirar do caminho da morte as almas dos defuntos, robustecer os fracos, curar os enfermos, libertar os possessos, abrir as portas das prisões, romper os grilhões dos inocentes. Ela perdoa os pecados, afasta as tentações, faz cessar as perseguições, reconforta os de ânimo abatido, enche de alegria os generosos, conduz os peregrinos, acalma as tempestades, detém os ladrões, dá alimento aos pobres, ensina os ricos, levanta os que caíram, sustenta os que vacilam, confirma os que estão de pé. Oram todos os anjos, ora toda criatura. Oram à sua maneira os animais domésticos e as feras, que dobramos joelhos. Saindo de seus estábulos ou de suas tocas, levantam os olhos para o céu e não abrem a boca em vão, fazendo vibrar o ar com seus gritos. Mesmo as aves quando levantam voo, elevam-se para o céu e, em lugar de mãos, estendem as asas em forma de cruz, dizendo algo semelhante a uma prece. Que dizer ainda a respeito da oração? O próprio Senhor também orou; a ele honra e poder pelos séculos dos séculos. Responsório Jo 4,23-24 R. Adoradores verdadeiros ao Pai adorarão em espírito e verdade; * Pois são tais adoradores que o Pai quer e procura. V. Deus é Espírito e aqueles que o adoram, o adoram em espírito e em verdade. * Pois são.

Liturgia das Horas :::†Ofício Divino:::

(via)
ARQUIVO Próprio do Tempo Advento Natal Quaresma Páscoa Tempo Comum I Tempo Comum II Próprio dos Santos Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Documentos Downloads Música

DomTotal

Salmo Responsorial 50/51 Criai em mim um coração que seja puro. Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me todo inteiro do pecado e apagai completamente a minha culpa! Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face nem retireis de mim o vosso Santo Espírito! Dai-me de novo a alegria de ser salvo e confirmai-me com espírito generoso! Ensinarei vosso caminho aos pecadores, e para vós se voltarão os transviados. Leitura (Hebreus 5,7-9) Leitura da carta aos Hebreus. 7 Nos dias de sua vida mortal, dirigiu preces e súplicas, entre clamores e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, e foi atendido pela sua piedade. 8 Embora fosse Filho de Deus, aprendeu a obediência por meio dos sofrimentos que teve. 9 E uma vez chegado ao seu termo, tornou-se autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem. Palavra do Senhor.

2010

Liturgia das Horas :::†Ofício Divino:::

Os participantes na Liturgia das Horas dela hão de haurir, sem dúvida, copiosíssima santificação por meio da salutar palavra de Deus, que tanta importância tem nela. (IGHL 14)

Liturgia das Horas

Liturgia das Horas Participe Conosco Segunda à Sexta 06:30 - Laudes Liturgia das Horas De SEGUNDA à SEXTA (NA MATRIZ) Fazemos as 6:30, as orações das Laudes São apenas 20 minutos de orações por toda a nossa igreja e nossa cidade. Aprenda a rezar este maravilhoso ofício. Participe conosco! No.Usuarios: 103, ult.acessos: euridicesbraz@uol.com.br | Rubinho | Celio | Rubens Jr Xavier | paulasouza | Você está aqui arrow Home Liturgia das Horas Paróquia de São José de Leonissa Extra Large Large Normal * Liturgia Diária * Santo do Dia * Informações MECEs * Bíblia OnLine * Hebreus, 10:35,36 - Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão. Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa.

Diocese de Osório - Seja Bem-vindo

Liturgia das Horas O que é e como rezar Tempo Comum Tempo da Quaresma Tempo da Páscoa Tempo do Advento Tempo do Natal Oração da noite ou Completas Ofício das Leituras => Neste seção incluiremos as Leituras Patrísticas : Textos dos primeiros escritores cristãos após os Apóstolos, chamados Padres da Igreja (nossos "pais" na fé) Tempo Comum Tempo da Quaresma Tempo da Páscoa Tempo do Advento Tempo do Natal Oração da noite ou Completas Mitra Diocesana de Osório Todos os Direitos Reservados

2009

Liturgia das Horas :::†Ofício Divino:::

TEMPO COMUM 32ª SEMANA Domingo I Vésperas - Vigílias - Laudes - Terça - Sexta - Nona - II Vésperas - Completas - Ofício das Leituras Segunda Laudes - Terça - Sexta - Nona - Vésperas - Completas - Ofício das Leituras Terça Laudes - Terça - Sexta - Nona - Vésperas - Completas - Ofício das Leituras Quarta Laudes - Terça - Sexta - Nona - Vésperas - Completas - Ofício das Leituras Quinta Laudes - Terça - Sexta - Nona - Vésperas - Completas - Ofício das Leituras Sexta Laudes - Terça - Sexta - Nona - Vésperas - Completas - Ofício das Leituras Sábado Laudes - Terça - Sexta - Nona - Vésperas - Completas - Ofício das Leituras

III TERÇA-FEIRA

Leitura breve Cl 3,16 Que a palavra de Cristo, com toda a sua riqueza, habite em vós. Ensinai e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria. Do fundo dos vossos corações, cantai a Deus salmos, hinos e cânticos espirituais, em ação de graças.