public marks

PUBLIC MARKS from tadeufilippini with tag oracao

This year

Linha Aberta Para o Céu

(via)
Santa Clara de Assis Santa Clara, sob a orientação de São Francisco de Assis fundou a ordem das irmãs Clarissas.Morreu em 12 de agosto de 1253 , na cidade de Assis , Itália _______________________________________________ Benção de Santa Clara Pela intercessão de Santa Clara o Senhor Todo Poderoso me abençoe e proteja; volte para mim os seus olhos misericordiosos, me dê a paz e tranqüilidade,derrame sobre mim as suas copiosas graças e depois desta vida, me aceite no céu em companhia de Santa Clara e de todos os Santos. Em nome do Pai, do filho e do Espírito Santo.. Amém

33º Domingo do Tempo Comum

(via)
Responsório Lc 21,25a.31; Mc 13,33 R. Haverá portentosos sinais no sol, nas estrelas, na lua e na terra a angústia dos povos. * Quando virdes tais coisas chegarem, sabei que o reino está perto. V. Vigiai e orai sem cessar, pois não sabeis quando o tempo virá. * Quando. Segunda leitura Dos Comentários sobre os Salmos, de Santo Agostinho, bispo (Ps 95,14.15:CCL39,1351-1353) (Séc.V) Não ofereçamos resistência à sua primeira vinda, para não termos de recear a segunda Então todas as árvores das florestas exultarão diante da face do Senhor porque veio, veio julgar a terra (Sl 95,12-13). Veio primeiro e virá depois. Esta sua palavra ressoou pela primeira vez no evangelho: Vereis sem demora o Filho do homem vir sobre as nuvens (Mt 26,64). Que quer dizer: Sem demora? O Senhor não virá depois, quando os povos da terra se lamentarão? Veio primeiro em seus pregadores e encheu o mundo inteiro. Não ofereçamos resistência à primeira vinda, para não termos de recear a segunda. Que, então, devem fazer os cristãos? Usar do mundo; não servir ao mundo. Como é isto? Possuindo, como quem não possui. O Apóstolo diz: De resto, irmãos, o tempo é breve; que os que têm esposa sejam como se não a tivessem; os que choram, como se não chorassem; os que se alegram, como se não se alegrassem; os que compram, como se não possuíssem; e os que usam do mundo, como se não usassem; pois passa a figura deste mundo. Eu vos quero sem inquietações (1Cor 7,29-32). Quem não tem inquietações, aguarda com serenidade a vinda de seu Senhor. Pois, que amor ao Cristo é esse que teme sua chegada? Irmãos, não nos envergonhamos? Amamos e temos medo de sua vinda. Será que amamos? Ou amamos muito mais nossos pecados? Odiemos, portanto, estes mesmos pecados e amemos aquele que virá castigar os pecados. Ele virá, quer queiramos, quer não. Se ainda não veio, não quer dizer que não virá. Virá em hora que não sabes; se te encontrar preparado, não haverá importância não saberes. E exultarão todas as árvores das florestas. Veio primeiro; depois virá para julgar a terra; encontrará exultantes aqueles que creram em sua primeira vinda, porque veio. Julgará com equidade o orbe da terra, e os povos em sua verdade (Sl 95,13). Que significam equidade e verdade? Reunirá junto a si seus eleitos para o julgamento; aos outros separá-los-á dos primeiros; porá uns à direita, outros à esquerda. Que de mais justo, de mais verdadeiro do que não esperarem misericórdia da parte do juiz, aqueles que não quiseram usar de misericórdia antes da vinda do juiz? Quem teve misericórdia, será julgado com misericórdia. Os colocados à direita escutarão: Vinde, benditos de meu Pai, recebei o reino que vos foi preparado desde a origem do mundo (Mt 25,34). E aponta-lhes as obras de misericórdia: Tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber etc. (Mt 25,34-46). Por sua vez, que se aponta aos da esquerda? Sua falta de misericórdia. Para onde irão? Ide para o fogo eterno (Mt 25,41). Esta palavra suscita grande gemido. Que diz outro salmo? Será eterna a lembrança do justo; não temerá escutar palavra má (Sl 111,6-7). Que quer dizer: escutar palavra má? Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos (Mt 25,4). Quem se alegra com a palavra boa, não temerá escutar a má. É esta a equidade, a verdade. Porque és injusto, não será justo o juiz? Ou porque és mentiroso, não será veraz a verdade? Se queres, porém, encontrar o Misericordioso, sê tu misericordioso antes de sua chegada: perdoa, se algo foi feito contra ti, dá daquilo de que tens em abundância. Donde vem aquilo que dás, não é dele? Se desses do que é teu, seria liberalidade;quando dás do que é dele, é devolução. Que tens que não recebeste? (1Cor 4,7). São estes os sacrifícios mais aceitos por Deus: misericórdia, humildade, louvor, paz, caridade. Ofereçamo-los e com confiança esperaremos a vinda do juiz que julgará o orbe da terra com equidade, e os povos em sua verdade (Sl 95,13). Responsório Mt 16,27; Sl 95(96),13b R. O Filho do homem há de vir na glória do Pai, com os anjos; * Então retribuirá a cada um, de acordo com o seu comportamento. V. Deus vem para julgar a terra inteira e os povos julgará com lealdade. * Então.

Vésperas

(via)
Salmodia Ant. 1 Ó Senhor, exaltai o vosso Ungido! Salmo 19(20) Oração pela vitória do rei Quem invocar o nome do Senhor, será salvo (At 2,21). –2 Que o Senhor te escute no dia da aflição, * e o Deus de Jacó te proteja por seu nome! –3 Que do seu santuário te envie seu auxílio * e te ajude do alto, do Monte de Sião! –4 Que de todos os teus sacrifícios se recorde, * e os teus holocaustos aceite com agrado! –5 Atenda os desejos que tens no coração; * plenamente ele cumpra as tuas esperanças! =6 Com a vossa vitória então exultaremos, † levantando as bandeiras em nome do Senhor. * Que o Senhor te escute e atenda os teus pedidos! –7 E agora estou certo de que Deus dará a vitória, * que o Senhor há de dar a vitória a seu Ungido; – que haverá de atendê-lo do excelso santuário, * pela força e poder de sua mão vitoriosa. –8 Uns confiam nos carros e outros nos cavalos; * nós, porém, somos fortes no nome do Senhor. –9 Todos eles, tombando, caíram pelo chão; * nós ficamos de pé e assim resistiremos. –10 Ó Senhor, dai vitória e salvai o nosso rei, * e escutai-nos no dia em que nós vos invocarmos. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Ó Senhor, exaltai o vosso Ungido! Ant. 2 Cantaremos celebrando a vossa força. Salmo 20(21),2-8.14 Ação de graças pela vitória do Rei O Cristo ressuscitado recebeu a vida para sempre (Sto. Irineu). –2 Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra; * quanto exulta de alegria em vosso auxílio! –3 O que sonhou seu coração, lhe concedestes; * não recusastes os pedidos de seus lábios. –4 Com bênção generosa o preparastes; * de ouro puro coroastes sua fronte. –5 A vida ele pediu e vós lhe destes * longos dias, vida longa pelos séculos. –6 É grande a sua glória em vosso auxílio; * de esplendor e majestade o revestistes. –7 Transformastes o seu nome numa bênção, * e o cobristes de alegria em vossa face. –8 Por isso o rei confia no Senhor, * e por seu amor fiel não cairá. –14 Levantai-vos com poder, ó Senhor Deus, * e cantaremos celebrando a vossa força! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Cantaremos celebrando a vossa força.

Quinta-feira da Terceira Semana da Quaresma

(via)
Segunda leitura Do Tratado sobre a oração, de Tertuliano, presbítero (Cap.28-29: CCL 1,273-274) (Séc. III) O sacrifício espiritual A oração é o sacrifício espiritual que aboliu os antigos sacrifícios. Que me importa a abundância de vossos sacrifícios? – diz o Senhor. Estou farto de holocaustos de carneiros e de gordura de animais cevados; do sangue de touros, de cordeiros e de bodes, não me agrado. Quem vos pediu estas coisas? (Is 1,11). O Evangelho nos ensina o que pede o Senhor: Está chegando a hora, diz ele,em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. Deus é espírito (Jo 4,23.24), e por isso procura tais adoradores. Nós somos verdadeiros adoradores e verdadeiros sacerdotes, quando, orando em espírito, oferecemos o sacrifício espiritual da oração, como oferenda digna e agradável a Deus, aquela que ele mesmo pediu e preparou. Esta oferenda, apresentada de coração sincero, alimentada pela fé, preparada pela verdade, íntegra e inocente, casta e sem mancha, coroada pelo amor, é a que devemos levar ao altar de Deus, acompanhada pelo solene cortejo das boas obras, entre salmos e hinos; ela nos alcançará de Deus tudo o que pedimos. Que poderia Deus negar à oração que procede do espírito e da verdade, se foi ele mesmo que assim exigiu? Todos nós lemos, ouvimos e acreditamos como são grandes os testemunhos da sua eficácia! Nos tempos passados, a oração livrava do fogo, das feras e da fome; e no entanto ainda não havia recebido de Cristo toda a sua eficácia. Quanto maior não será, portanto, a eficácia da oração cristã! Talvez não faça descer sobre as chamas o orvalho do Anjo, não feche a boca dos leões, não leve a refeição aos camponeses famintos, não impeça milagrosamente o sofrimento; mas vem em auxílio dos que suportam a dor com paciência, aumenta a graça aos que sofrem com fortaleza, para que vejam com os olhos da fé a recompensa do Senhor, reservada aos que sofrem pelo nome de Deus. Outrora a oração fazia vir as pragas, derrotava os exércitos inimigos, impedia a chuva necessária. Agora, porém, a oração autêntica afasta a ira de Deus, vela pelo bem dos inimigos e roga pelos perseguidores. Será para admirar que faça cair do céu as águas, se conseguiu que de lá descessem as línguas de fogo? Só a oração vence a Deus. Mas Cristo não quis que ela servisse para fazer mal algum; quis antes que toda a eficácia que lhe deu fosse apenas para servir o bem. Consequentemente, ela não tem outra finalidade senão tirar do caminho da morte as almas dos defuntos, robustecer os fracos, curar os enfermos, libertar os possessos, abrir as portas das prisões, romper os grilhões dos inocentes. Ela perdoa os pecados, afasta as tentações, faz cessar as perseguições, reconforta os de ânimo abatido, enche de alegria os generosos, conduz os peregrinos, acalma as tempestades, detém os ladrões, dá alimento aos pobres, ensina os ricos, levanta os que caíram, sustenta os que vacilam, confirma os que estão de pé. Oram todos os anjos, ora toda criatura. Oram à sua maneira os animais domésticos e as feras, que dobramos joelhos. Saindo de seus estábulos ou de suas tocas, levantam os olhos para o céu e não abrem a boca em vão, fazendo vibrar o ar com seus gritos. Mesmo as aves quando levantam voo, elevam-se para o céu e, em lugar de mãos, estendem as asas em forma de cruz, dizendo algo semelhante a uma prece. Que dizer ainda a respeito da oração? O próprio Senhor também orou; a ele honra e poder pelos séculos dos séculos. Responsório Jo 4,23-24 R. Adoradores verdadeiros ao Pai adorarão em espírito e verdade; * Pois são tais adoradores que o Pai quer e procura. V. Deus é Espírito e aqueles que o adoram, o adoram em espírito e em verdade. * Pois são.

2007