public marks

PUBLIC MARKS from tadeufilippini with tag nariz

This year

Campos de Carvalho – Wikipédia, a enciclopédia livre

(via)
Campos de Carvalho Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Campos de Carvalho Nome completo Walter Campos de Carvalho Nascimento 1 de novembro de 1916 Uberaba, Brasil Morte 10 de abril de 1998 (81 anos) São Paulo, Brasil Nacionalidade Brasil Brasileiro Ocupação Escritor Género literário Literatura nonsense ou absurda Magnum opus Obra Reunida Procurar imagens disponíveis Walter Campos de Carvalho (Uberaba, 1º de novembro de 1916 – São Paulo, 10 de abril de 1998), foi um escritor brasileiro. Em 1938 formou-se em direito, tendo se aposentado como procurador do estado de São Paulo, onde viveu em companhia da esposa Lígia Rosa de Carvalho.

2008

Campos de Carvalho - Vaca de nariz sutil (3)

(via)
Vaca de nariz sutil (3) Campos de Carvalho PAGO A PENSÃO COM A PENSÃO QUE O ESTADO ME PAGA PELO MEU ESTADO. Não chega a ser bem um poema, mas a vida não é nenhum poema. Se eu dissesse isto ao presidente da República ele me acharia supinamente ridículo, e os seus áulicos com ele; e no entanto é a pura verdade. Mandei a frase a um jornal, subdividida em estrofes, e nem sequer me deram qualquer resposta: assim se escreve a história de um herói da última guerra, ou de qualquer guerra, ou de qualquer herói.

GuiaSP

(via)
A Vaca de Nariz Sutil A nova empreitada dos Parlapatões, A Vaca de Nariz Sutil é baseada na obra do romancista mineiro Campos de Carvalho que trata da vida de um herói de guerra esquizofrênico. A peça marca os dezessete anos na trajetória artística do grupo com um novo desafio de linguagem. O texto foi adaptado por Hugo Possolo há mais de vinte anos. O dramaturgo, que também dirige a montagem, traz ao palco uma encenação que passa pelo humor, mas tem forte acento no universo poético. Possolo está em cena junto aos parceiros de grupo Henrique Stroeter, Raul Barretto e Claudinei Brandão. No elenco está Carolina Tilkian, selecionada para o papel em audição onde concorreram mais de 180 candidatas e os atores convidados Potiguara Novazzi e Alexandre Bamba.

A Vaca de Nariz Sutil

(via)
A nova empreitada dos Parlapatões é uma adaptação da obra do romancista mineiro Campos de Carvalho. Seus romances, pouco difundidos, representam algo único na literatura brasileira, pelo seu caráter inovador e sua temática contundente. Recentemente, a montagem de Aderbal Freire-Filho da obra O Púcaro Búlgaro trouxe uma visão teatral sobre a obra de Carvalho. Agora, os Parlapatões montam a novela que trata da vida de um herói de guerra esquizofrênico. A peça marca os dezessete anos na trajetória artística do grupo com um novo desafio de linguagem. Vaca de Nariz Sutil traz um ex-combatente, personagem sempre anônimo, aposentado por invalidez (representado por Henrique Stroeter), que divide o seu quarto de pensão com um surdo-mudo, Aristides (Hugo Possolo). Divide sua loucura, copos e madrugadas com um amigo de bar, que é zelador de um cemitério (Claudinei Brandão). Divide seu coração com a filha deste zelador, Valquíria (Carolina Tilkian), uma adolescente com problemas mentais. E é com ela que o veterano de guerra, obcecado por sexo como qualquer louco ou como qualquer normal, mantém relações sexuais. A obra foi adaptada por Hugo Possolo há mais de vinte anos. O dramaturgo, que também dirige a montagem, traz ao palco uma encenação que passa pelo humor, mas tem forte acento no universo poético. Ao longo dos dezessete anos dos Parlapatões a adaptação sempre esteve presente entre as possibilidades de montagem e, agora, numa fase em que o grupo se crê mais maduro, encontra o fértil momento de sua realização. Colocar a obra de Campos de Carvalho aliada ao humor que caracteriza o grupo pode ser aparentemente contraditório, mas os estilos de Carvalho e do grupo de comediantes têm muito em comum. A encenação tem sua raiz no sarcasmo, no humor ácido, no limite do trágico, que a obra literária traz. Encontra um ponto comum quando não se pretende uma peça cômica e, sim, uma junção clara de humor e tragédia por meio da poesia. Uma busca constante do grupo que, por meio da diversão que seu humor e comunicação direta transitam, quer provocar a reflexão no espectador. A narrativa da novela de Carvalho é fragmentária, cuja linguagem remete ao olhar esquizofrênico da personagem anônima de um herói que não vê mais sentido na vida. A adaptação de Possolo opta por uma ordem aparentemente cronológica de acontecimentos para deixar livre os delírios do protagonista em um contexto mais conflituoso e teatral. Com ritmo frenético e intenso, comunicação direta com a platéia, a encenação pode subverter a própria trajetória de seus atores. Espaço fértil para uma nova investigação artística, onde uma base sólida se confronta com a instabilidade de tempos, na reconstrução de um humor mais abstrato em sua forma e poético em seu resultado. A pesquisa dos Parlapatões, pautada na síntese do risível de todas essas personagens, é essencial para desvendar o risco e o poder da subversão de valores moralistas e reacionários. Imputa uma angústia ao público quando o riso se transforma em desconforto. E, então, pode se chegar a uma forte ligação entre lirismo e humor. Ficha Técnica Texto e Direção: Hugo Possolo Livre adaptação da novela Vaca de Nariz Sutil,de Campos de Carvalho. Elenco:Henrique Stroeter, Carolina Tilkian, Hugo Possolo, Raul Barretto, Claudinei Brandão Potiguara Novazzi Alexandre Bamba Mário Matias Atriz Substituta: Janaína Enguel Assistente de Direção: Fernanda Cunha Cenário: Luiz Frúgoli Sonoplastia: Aline Meyer Figurinos: Hugo Possolo Adereços: Inês Sakai IIluminação: Marcos Loureiro, Reynaldo Thomaz e Hugo Possolo Vídeo (Captação, edição e operação): Ronaldo Cahin Operação de som: Marcos Meneghessi Operação de luz: Reynaldo Thomaz Locução: Paulo Pansani Cenotécnica: Tkceno - Dilson Tavares e Soraya Kolle Costureira: Alice Correia Comunicação: Vivian Dozono Fotos: Luiz Doroneto Programação Visual: Werner Schulz e Paula Bauab Produção Executiva: Cristiani Zonzini Assistente de Produção: Júlio César Dória Secretária e Assisitente de Produção: Janaína Oliviera Realização: Parlapatões, Patifes & Paspalhões Serviço: De 25/04 a 01/06 Sextas e Sábados 21h Domingos 20h Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia) Espaço Parlapatões Praça Franklin Roosevelt, 158 – Centro Informações: 3258 4449 Ingresso Rápido: 4003 1212